top of page

Assemblage:

Poética do inútil ou obra de arte?



Certamente, também uma obra de arte. A arte e sua poética residem nesse ambiente, o artista passa a protagonizar singulares momentos criativos, apenas dar uma contribuição na volição, “fecundação”, construção e organização dos elementos no espaço compositivo, assim como o “espermatozoide” em sua fecundação. Tudo muito contagiante. Passa por várias fases até seu nascedouro.

Há o momento da relação íntima (simbiose) estabelecida entre elemento e artista, no sentido em que os mesmos serão classificados e organizados no espaço compositivo bi ou tridimensional.

A obra de arte está ali, entre os resíduos, precisa ser descoberta por seu protagonista. Os elementos que compõem a criação, ou já estão prontos, com suas características de cor, textura, forma, cheiro, etc. ou sofrerão pequenas intervenções do artista.

No processo de escolha e seleção dos elementos, a imagem ainda não está definida, virá concomitante ao processo de classificação. Já Horten Werneck, em seu processo compositivo, volta sua atenção ao resultado abstrato, com características simétricas ou assimétricas. Cito acima a obra “Mundo” do artista (2763) ASSEMBLAGE - assemblage world of Horten Werneck - YouTube que traz em sua composição elementos de madeira, ferro entre outros. Faz intervenções de cor, forma e textura.

Desde o advento da fotografia, a arte vem passando por grandes transformações, dessa forma tal linguagem oferece ao artista a possibilidade de criar coisas novas.

Acredito ser uma das linguagens mais completas e atuais: a assemblage, atende a necessidade e expectativa de criação do artista numa poética de arte pela arte até agora.

Comments


bottom of page